O Sonho de Ícaro

Não, não foi um única vez
Aquela foi apenas a derradeira
De todas as tentativas que fez
A gravidade mostrou-se certeira

Na tez o calor quis sentir
E Vitória lhe quis demonstrar
Que se a si um altar erigir
A muitos poderia inspirar

Não desistiu, lançou-se insistiu
À jornada que egoísta pareceu
Em verdade para todos ele subiu
Mesmo quando do cansaço padeceu

Sim, não foi por si que voou
Era mesmo a empatia que o levava
Tão pouco foi o Sol quem o derrubou
Mas foi só que ao solo chegara

Ao fogo Hefesto tirou
Proteu às águas secara
Das asas a liga cessou
E o Sonho de Ícaro acabara.

Por Laudivan